Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Parceria entre IFSul e governo do RS beneficiará estudantes de engenharia elétrica

Notícias

Parceria entre IFSul e governo do RS beneficiará estudantes de engenharia elétrica

OPORTUNIDADE

Estagiários poderão ganhar bolsa de até R$950,00 para elaborarem projetos de rede elétrica para escolas estaduais da região
publicado: 12/01/2018 10h40, última modificação: 12/01/2018 10h40

O ano começou com uma boa notícia para estudantes de engenharia elétrica do IFSul/câmpus Pelotas. Até o final de janeiro ou início de fevereiro, serão abertas inicialmente cinco vagas de estágio para elaboração de projetos de rede elétrica que contemplarão 220 escolas estaduais de Pelotas e região. A proposta de parceria é uma iniciativa do governo do RS e foi apresentada na quarta-feira (10) a dirigentes do instituto federal.

Na reunião, representantes da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG) do governo do RS entregaram a minuta do termo de cooperação ao reitor do IFSul, Flávio Nunes. Em geral, o documento, já enviado à Procuradoria Federal da instituição de ensino para análise, prevê a atuação de estudantes de engenharia elétrica por um período de seis meses, prorrogável por mais seis meses.

Supervisionados por um professor orientador, os universitários farão visitas às escolas para levantamento da situação e elaboração dos projetos de melhoria da rede elétrica, de acordo com a realidade encontrada em cada local. A execução das obras ficará a cargo da Secretaria Estadual de Educação, que também definirá quais estabelecimentos de ensino receberão primeiro as intervenções.

Professor e coordenador do curso de engenharia elétrica do IFSul/câmpus Pelotas, Marcel Souza Mattos acredita que essas vagas de estágio, além de uma excelente oportunidade de colocar em prática o que é visto em sala de aula, também abrem caminho para novas parcerias com o governo do Estado.

“É um momento importante, onde o estudante poderá aplicar seus conhecimentos na análise de laudos e concepção de projetos relacionados a redes elétricas. Novas oportunidades poderão surgir também, por meio desta parceria com o governo do RS, beneficiando outros cursos oferecidos pelo nosso câmpus, como edificações e os superiores de tecnologia em gestão ambiental e saneamento ambiental”, avalia.

Sobre a seleção dos estagiários, o coordenador adianta que um dos pré-requisitos é ter cursado a disciplina de instalações elétricas prediais, oferecida no 8º semestre do curso. Segundo ele, o número de vagas poderá ser ampliado no decorrer do trabalho, devido ao número de escolas estaduais que serão atendidas. As bolsas podem chegar a R$950,00 por mês cada uma. Pedido de informações e dúvidas sobre como participar podem ser enviados para secretaria_ee@pelotas.ifsul.edu.br.

Iniciativa

O reitor do IFSul elogiou o trabalho de planejamento e acompanhamento proposto pelo Estado, considerando importante para tornar as instituições mais eficientes. “Sem dúvidas é grande o desafio que o Estado tem pela frente, mas é muito relevante essa busca de parceria com as instituições de ensino, que podem fornecer mão de obra especializada”, destaca Flávio Nunes.

Para atender às demandas de obras elétricas nas escolas, essas instituições foram divididas em sete regiões específicas do Estado. Ao todo, o termo de cooperação será firmado com 11 instituições de ensino superior do Rio Grande do Sul em solenidade no Palácio Piratini, no final de janeiro.

Além do reitor do IFSul, também participaram da reunião participaram a vice-reitora, Adriane Menezes; o diretor de Pesquisa e Extensão do câmpus Pelotas, Alisson Bach Ferreira; o diretor de Ensino da unidade, Rubinei Ferraz; e o coordenador do curso de engenharia elétrica, Marcel Souza Mattos. Da equipe do governo do Estado, participaram a chefe de gabinete da SPGG e diretora do Departamento de Monitoramento de Resultados (DMR), Melissa Custódio; os assessores de governança da SPGG, Jonas Machado e Melina Drebes; o diretor adjunto administrativo da Secretaria de Educação (Seduc), Carlos Alexandre Ávila; e a diretora da Secretaria de Obras, Saneamento e Habitação (SOP), Roberta Campani.