Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Móvel projetado por alunos é doado à entidade beneficente de Pelotas

Notícias

Móvel projetado por alunos é doado à entidade beneficente de Pelotas

DESIGN DE INTERIORES

Estante será utilizada na biblioteca do Instituto Nossa Senhora da Conceição.
publicado: 17/03/2017 19h01 última modificação: 17/03/2017 19h01
Exibir carrossel de imagens Estante foi entregue nesta quinta-feira.

Estante foi entregue nesta quinta-feira.

Uma estante confeccionada em MDF, medindo dois metros de altura por 50 centímetros de profundidade e quase quatro metros de comprimento, que em lojas especializadas do ramo custaria mais de R$ 3 mil, acabou saindo de graça para o Instituto Nossa Senhora da Conceição, entidade centenária da cidade que atende atualmente 70 meninas de 6 a 12 anos. Tudo por conta de um projeto de extensão do câmpus Pelotas no qual alunos do curso técnico em Design de Interiores têm a oportunidade de colocar em prática o que aprendem em sala de aula e, de quebra, vivenciar um pouco daquilo que encontrarão no mundo do trabalho.

Coordenadora geral do projeto de extensão, batizado de Design Social, a professora Ana Cristina Silva enaltece os objetivos da proposta e ressalta que a iniciativa não é apenas uma mera ação assistencialista.

“Não estamos falando aqui em assistencialismo. Na verdade, a ideia é valorizar o profissional envolvido, o designer, e ratificar a proposta de intervenção social e empoderamento comunitário de todos os participantes”.

A estante, que será integrada à biblioteca do Instituto Nossa Senhora da Conceição, é personalizada e foi projetada há alguns anos, nos mínimos detalhes, por Bianca Lucas, à época aluna do então curso técnico em Design de Móveis, hoje Design de Interiores. São dois módulos em MDF com predomínio da cor branca. Como o público-alvo da entidade são meninas, o móvel ganhou ainda aplicações de flores rosas, também feitas do mesmo material. Tudo executado na própria marcenaria do curso de Design de Interiores, pelas mãos talentosas do servidor Mário Espírito Santo Teixeira. O cuidado e o profissionalismo dedicados por alunos e colaboradores em todas as etapas de criação impressionaram os professores.

“Quando concluímos um mobiliário para alguma instituição filantrópica, os resultados são sempre surpreendentes. Com essa estante não foi diferente. Acredito que isso é fruto da entrega dos alunos ao projeto, que se preocupam com custos, aproveitamento de materiais, entre outros processos. Eles querem ver a ideia sair do papel, ser concretizada”, afirma a professora Liege Dias Lannes, coordenadora do curso técnico em Design de Interiores.

Para o presidente do Instituto Nossa Senhora da Conceição, Luis Fernando Praz, o móvel vai além de um objeto que servirá à biblioteca, tornando-se um símbolo e um incentivo: “o trabalho realizado pelo IFSul nos inspirou a fazer outras atividades no instituto. Para receber o móvel, reformamos a sala, a partir daí decidimos realizar outras reformas e mudanças”.

Diretor de ensino do câmpus Pelotas, o professor Endrigo Pereira Lima, que esteve presente na cerimônia de entrega do móvel, realizada nesta quinta-feira (16), salientou a importância do trabalho em equipe realizado no câmpus e o valor de um projeto de extensão na formação do aluno:

“Daqui a alguns anos as pessoas olharão esse armário e dirão que é apenas um móvel, mas ele conta com um pouco de cada pessoa envolvido no processo, do projeto à execução e entrega” comenta. “Um trabalho de extensão como esse é importante por mostrar o trabalho em equipe que acontece no câmpus e por agregar à formação acadêmica e social dos alunos envolvidos”.

Além do diretor de ensino, também estiveram presentes o pró-reitor de extensão e cultura Miguel Baneiro, as professoras Marina Loder, Liege Lannes, Ana Cristina Silva, o professor Alexandre Assunção, o servidor Mário Teixeira, que trabalhou na execução do móvel, os estudantes Geovane Diehl e Kamila Ramson e membros da equipe diretiva e executiva do INSC.

DNA social

Desde 2004, diferentes tipos de móveis têm sido concebidos através do chamado Design Social. São propostas que nascem na disciplina de projetos de interiores, onde os alunos trabalham como se já estivessem inseridos em uma empresa real. A partir das necessidades apontadas pelos clientes, no caso as instituições filantrópicas parceiras da iniciativa, os estudantes começam a esmiuçar a proposta, desde a planta baixa até o último parafuso.

E vale frisar: é a própria entidade quem faz a escolha dentre todas as alternativas projetadas pelos estudantes. Entre as já atendidas pelo projeto, além do Instituto Nossa Senhora da Conceição, estão a escola especial Louis Braille, Casa da Criança São Francisco de Paula, o Centro de Reabilitação de Pelotas (Cerenepe) e a Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan) – nestas duas últimas os móveis serão entregues ainda no primeiro semestre deste ano.

Para os alunos envolvidos, o maior ganho, que vai muito além do dia a dia na sala de aula, é a experiência real de poder pensar, planejar e executar um projeto, assumindo pra valer o papel de um verdadeiro designer.

“Participar de tudo isso é incrível. Estar vivenciando todas as etapas de criações dos mobiliários é algo gratificante e nos enriquece muito. Existe amor no que fazemos, e nos sentimos realizados em poder ajudar quem precisa. Além disso, me sinto pronto e qualificado para o mundo do trabalho”, conta Geovane Diehl, aluno do curso técnico em Design de Interiores e voluntário do projeto.

Para Kamila Ramson, bolsista do projeto, todos saem ganhando com a iniciativa: “o Instituto ganha um móvel que dificilmente chegaria até eles por outros meios; como aluno, o projeto só veio a agregar na minha experiência, pois acabei aprendendo muito mais na prática e no dia-a-dia”.

Formada em Design de Móveis em 2006, dez anos depois, Daniela Timm voltou ao câmpus Pelotas, desta vez como professora dos cursos técnicos em Comunicação Visual e Design de Interiores e do bacharelado em Design. E o retorno não poderia ter sido mais gratificante para ela, que desde março de 2016 está entre os docentes que fazem parte do Design Social.

“Em 2006, junto com uma colega de curso, criei o projeto para o Louis Braille, de uma mesa de computador para cadeirante com deficiência visual e mais um armário. Agora, retorno ao Design Social na condição de docente e coordenadora do projeto de mobiliário para a Aapecan, junto com o professor Alexandre Assunção”, comemora.

Sob a coordenação geral da professora Ana Cristina Silva, o projeto de extensão Design Social, financiado com recursos destinados pela Pró-reitoria de Extensão e Cultura do IFSul, após ser contemplado em edital no qual concorreram vários câmpus do instituto federal, conta com a participação de mais seis professores, um técnico-administrativo e dois alunos – um bolsista e um voluntário.

No caso dos docentes, cada um está responsável por coordenar a execução de uma proposta para determinada instituição filantrópica. Marina Mendonça Loder, coordenadora do curso técnico em Comunicação Visual, supervisionou os trabalhos para a confecção da estante do Instituto Nossa Senhora da Conceição. Stela Maris Stein e Dóris Diesel estão à frente da criação dos carrinhos para artesanato que serão doados ao Cerenepe, e Daniela Timm e Alexandre Assunção coordenam o projeto do móvel para a recepção da Aapecan. Já Liege Lannes e Cláudia Campos Ribeiro estão na retaguarda e oferecem apoio em todas as ações em andamento.